O chamado de Isaías

No ano em que morreu o rei Uzias, eu vi também ao Senhor assentado sobre um alto e sublime trono; e a cauda do seu manto enchia o templo. Serafins estavam por cima dele; cada um tinha seis asas; com duas cobriam os seus rostos, e com duas cobriam os seus pés, e com duas voavam. E clamavam uns aos outros, dizendo: Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória. E os umbrais das portas se moveram à voz do que clamava, e a casa se encheu de fumaça. Então disse eu: Ai de mim! Pois estou perdido; porque sou um homem de lábios impuros, e habito no meio de um povo de impuros lábios; os meus olhos viram o Rei, o Senhor dos Exércitos. Porém um dos serafins voou para mim, trazendo na sua mão uma brasa viva, que tirara do altar com uma tenaz; E com a brasa tocou a minha boca, e disse: Eis que isto tocou os teus lábios; e a tua iniquidade foi tirada, e expiado o teu pecado. Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem há de ir por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim. Isaías 6:1-8.

Introdução

  • Isaías era membro de uma família influente e profeta em Jerusalém;
  • Aconselhava no reino acerca das políticas externas;
  • Iniciou seu ministério durante o reinado de Uzias;
  • Uzias começou o seu reinado com 16 anos e reinou 55 anos; Foi um grande rei;
  • Iniciou o seu reinado agradando a Deus, servindo-o de todo o coração;
  • Fortaleceu a criação de gado e o cultivo, cavando poços (amigo da agricultura);
  • Teve um exército profissional, bem organizado, que saía em tropas;
  • Tinha também outros 307 mil homens contingentes preparados para a guerra;
  • Criou armas (lanças, flechas, escudos, capacetes, fundas e armas de engenharia);
  • Expandiu o reinou (com cidades) e seu nome ficou conhecido em muitos lugares;
  • Intentou queimar incenso ao Senhor no templo, por isso, morreu leproso;

1)    Um evento marcante

  • A morte de Uzias foi certamente um evento marcante na vida de Isaías;
  • Alguém que tinha muitos feitos benéficos em sua história, morrer daquela maneira…
  • Certamente Isaías estava se recuperando daquela perda;
  • Mas, foi no ano em que morreu o rei Uzias, que Isaías tem uma revelação especial;
  • Tem coisa que acontecem com a gente que deveria nos jogar no chão;
  • Ao invés disso, ela nos leva para uma experiência extraordinária com Deus;
  • Deus tem os seus gatilhos para nos impulsionar para seus planos;

Aplicação prática: Diante de eventos marcantes, pergunte o que Deus quer com isso?

2)    Ser transformado para transformar

  • Então disse eu: Ai de mim! Foi o que Isaías disse diante daquela visão;
  • Até então, Isaías proferia os “ais” para os outros;
  • Sendo um cidadão de bem (íntegro), Isaías repreendia o povo pelos seus pecados:
    • Ai dos que vivem na bebedeira desde a manhã e desprezam o Senhor;
    • Ai dos que arrastam os seus pecados com cordas;
    • Ai dos que chamam o mal de bem;
    • Ai dos que são sábios aos seus próprios olhos;
    • Ai dos que justificam o ímpio, e negam a justiça;
  • Ao estar diante do trono de Deus, Isaías olha para si e diz “Ai de mim”;
  • Ninguém é justo o suficiente diante da Santidade de Deus;
  • O auge do ministério de Isaías se dá após sua atitude de humilhar-se;

Aplicação prática: Diante da Santidade de Deus, humilhe-se;

3)    Os Serafins não vão fazer o que Deus lhe confiou

  • Os Serafins são uma categoria de anjos que prestam contínua adoração diante do trono de Deus;
  • Eles dizem continuamente “Santo, Santo, Santo é o Senhor dos Exércitos; toda a terra está cheia da sua glória”;
  • As suas vozes são poderosas e uníssonas “a voz do que clama” está no singular;
  • Os umbrais das portas (os alicerces) tremeram, tamanho seu poder;
  • Mas, o Senhor pergunta: Quem há de ir por nós?
  • Nenhum daqueles anjos respondem essa pergunta;
  • Quem pode responder? Isaías!
  • Aqueles anjos de vozes poderosas convenceriam até o mais incrédulo ao arrependimento;
  • Mas, Deus não os enviou. Enviou Isaías;

Mas Deus escolheu as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias; e Deus escolheu as coisas fracas deste mundo para confundir as fortes; E Deus escolheu as coisas vis deste mundo, e as desprezíveis, e as que não são, para aniquilar as que são; Para que nenhuma carne se glorie perante ele. 1 Coríntios 1:27-29 .

  • Com isso Deus atrai para si, pessoas sinceras e não interesseiras.
  • Quem éramos nós, para sermos chamados por Deus para ser parte de sua igreja?
  • O chamado beneficia primeiramente a pessoa chamada e depois as outras, quem foi santificado por uma brasa do altar, foi somente Isaías, os demais seriam santificados pela sua pregação.

Aplicação prática: Considere o servir a Deus como um privilégio;

4)    Chamado para participar

  • Deus não chamou ninguém nesta terra para ser crente de banco, inerte;
  • As obras são para os que são salvos fazer, e não para os que acham que podem ser salvos por ela;
  • José, o “pai de Jesus”, é um dos servos mais discretos da bíblia, mas com grande importância na vida de Jesus;
  • O sucesso da sua chamada, diante de Deus, não é medido pelo tamanho da sua fama;
  • Deus chamou pessoas para participarem, e o combustível disso é a gratidão;
  • Serviço sem coração grato é ocasião para conflitos na melhor das igrejas;
  • Logo após a morte de Cristo, os discípulos ficaram desanimados, queriam voltar a ser pescadores;
  • Ninguém que encontra a Cristo, pode voltar à vida que tinha antes de estar com Ele;
  • Servir a Cristo não é ser voluntário, é ser servo;

Aplicação prática: Participe da Obra de Deus por gratidão;

5)    Deus pergunta para não invadir a nossa privacidade

  • Mesmo sob a ótica do privilégio e da gratidão, Deus não aponta Isaías, antes pergunta;
  • Quem há de ir por nós, não é intimação, é uma pergunta;
  • Deus não é invasivo, Ele respeita o direito do outro em não querer ir;
  • Mas, quem vai, torna-se embaixador do Reino: ir por nós?

De sorte que somos embaixadores da parte de Cristo, como se Deus por nós rogasse. Rogamo-vos, pois, da parte de Cristo, que vos reconcilieis com Deus. 2 Coríntios 5:20.

  • A pergunta se divide em duas partes:
    • A quem enviarei? – Somos enviados por Deus
    • E quem há de ir por nós? – Somos representantes de Deus

Aplicação prática: Embaixador não fala o que ele acha, ele fala o que o rei manda;

6)    O mundo não porta a Palavra de Deus

  • Só quem porta a Palavra de Deus são os Seus Filhos escolhidos;
  • O mundo não tem essa revelação, então, ele aproveita alguns trechos ou princípios;
  • A igreja tem uma revelação especial da Palavra de Deus, porque ela crê integralmente;
  • O mundo tem uma revelação geral de Deus;

Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; Romanos 1:20.

Aplicação prática: Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao Senhor. Oséias 6:3.

7)    O amor de Deus pela humanidade continua o mesmo

Vivo eu, diz o Senhor DEUS, que não tenho prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Ezequiel 33:11.

  • Aquela pessoa que a gente pensa que não tem jeito, Deus pode salvar ela;
  • A mensagem de salvação continua sendo pregada, e o Ide vigente;
  • No texto de Isaías, Deus estava falando com seu povo;
  • Isso não significa que Deus sempre fala palavras doces ao nosso coração;
  • Deus fala aquilo que nós precisamos ouvir, e não o que gostamos;
  • Às vezes, Deus nos diz palavras de repreensão e exortação, como prova de Amor;
  • Deus corrige aqueles que Ele ama e nessas horas também se conhece aqueles que amam a Deus;
  • Pensamento errado: Deixa eu ir lá na igreja para ouvir uma palavra de auto-ajuda, pra alegrar o meu coração;

Aplicação prática: Pensamento certo: Deixa eu ir lá na igreja, para ouvir uma Palavra de Deus;

Oração