Deus tem um lugar de descanso

Textos: Hebreus 3:1-19 e Hebreus 4:1-16.

Introdução

O ministério de Cristo é maior que o de Moisés e o texto de Hebreus mais uma vez reforça que a salvação é condicional.

Os crentes são escolhidos para o céu (cap. 3, v.6) se conservarem a coragem firme até o fim, bem como a nossa alegria e a nossa esperança no Senhor; Então, a salvação é garantida enquanto o crente coopera com a graça de Deus, perseverando na fé e santidade até o fim da sua existência terrena;

1)           Advertência: Começar bem e terminar mal

Tendo em vista a questão da perseverança (com qualidade), o Espírito Santo nos adverte (v.7) sobre três coisas que ameaçam a entrada de alguém no descanso eterno:

v.8) Hoje, se vocês ouvirem a sua voz, não permitam que o coração de vocês se endureça, como fez o povo de Israel. Eles se rebelaram durante o tempo da provação no deserto (se rebelaram contra Moisés, contra Arão, contra Deus etc.); Semente entre pedregais.

v.9) Ali os seus antepassados me desafiaram e me puseram à prova, apesar da paciência que tive com eles durante quarenta anos e de terem visto tudo o que eu fiz (murmurações e questionamentos contra Deus); Semente no pé do caminho.

v.10) Por isso, fiquei muito irado com eles, pois seus corações estavam sempre olhando para outro lugar em vez de levantarem os olhos para mim, e não reconheceram os meus caminhos (valorização das coisas da vida, Egito, acima das coisas espirituais). Semente entre espinhos.

Nota – Parábola do Semeador: Escutai vós, pois, a parábola do semeador. Ouvindo alguém a palavra do reino, e não a entendendo, vem o maligno, e arrebata o que foi semeado no seu coração; este é o que foi semeado ao pé do caminho. O que foi semeado em pedregais é o que ouve a palavra, e logo a recebe com alegria; Mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e, chegada a angústia e a perseguição, por causa da palavra, logo se ofende; E o que foi semeado entre espinhos é o que ouve a palavra, mas os cuidados deste mundo, e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e fica infrutífera; Mas, o que foi semeado em boa terra é o que ouve e compreende a palavra; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta. Mateus 13:18-23;

O Espírito Santo está advertindo a igreja aqui, a respeito de algo que ela deve dominar: o CORAÇÃO.

Portanto, tomem cuidado com seus próprios corações, irmãos, para que não se tornem maus e incrédulos, levando vocês para longe do Deus vivo. Falem diariamente uns com os outros a respeito destas coisas durante o dia de hoje, para que nenhum de vocês seja cegado e endurecido pelo engano do pecado. (vs. 12 e 13).

Alguém que desejar entrar no descanso de Deus não deve ser seduzido pelas tentações do coração; Uma vez que cede às tentações, torna-se endurecido e afasta-se de Deus. A Palavra de Deus está advertindo sobre o perigo de começar bem e terminar mal. CUIDADO!

v. 14. Porque se formos fiéis até o fim, confiando em Deus tal como fizemos no princípio, quando nos tornamos servos de Cristo, participaremos de tudo quanto pertence a Cristo.

2)           O lugar de descanso é real

Tem duas coisas que precisamos saber sobre o lugar de descanso.

1) Existe uma promessa sobre ele: v.1, 3 e 4. Considerando sua promessa de entrarmos no lugar de descanso, ninguém deve pensar que essa promessa falhou… apesar de suas obras estarem concluídas e, assim, seu descanso já ter sido inaugurado desde a criação do mundo. Nós sabemos que ele está preparado e esperando porque está escrito que Deus descansou no sétimo dia da criação, depois que terminou tudo quanto tinha planejado fazer. Tem muitas pessoas que se perdem aqui. Elas querem datar a vinda do Reino de Deus, e quando não vêm acontecer… pensam que a promessa falhou e retornam à vida de antes… relaxamento, falta de vigilância, falta de disciplina. Cuidado para não se perder dentro da casa (parábola da dracma perdida).

2) É um lugar futuro: Embora em determinados momentos da nossa vida, usufruamos de algum tipo de descanso (refrigério), não pode ser comparado com o que está reservado no futuro. v.8 Este novo lugar de descanso acerca do qual ele está falando não quer dizer a terra de Israel, para a qual Josué os conduziu…. v.9 e 10 Portanto, há um descanso completo e perfeito para o povo de Deus. Porque todo aquele que entra no descanso de Deus também vai descansar de todas as suas obras, assim como Deus descansou após a criação. Aqui vem a segunda advertência: buscam lugar de descanso nesta terra, se prendendo à coisas boas da vida, mas, que podem fazer mal se tornarem-se prioridade em detrimento da vida com Deus;

3)           O que devemos fazer?

v.11 Façamos o melhor que pudermos para entrar também naquele lugar de descanso, tomando cuidado para não cair, seguindo aquele exemplo de desobediência.

Precisamos analisar do que o texto está falando… será que este texto está falando de obras, de tarefas, de atividades que podemos participar na igreja? Não que não devamos participar dessas coisas, mas, será que o texto aqui está recomendando isso?

Vamos ver o que vem a seguir:

  1. Permitir que a Palavra de Deus nos transforme: v.12 Pois a palavra de Deus é viva e poderosa e mais cortante do que uma espada afiada dos dois lados, que penetra fundo a ponto de separar alma e espírito, juntas e medulas, pensamentos e desejos do coração, mostrando-nos como somos na realidade. 

A Palavra de Deus discerne tudo em nós… ela mostra pra nós quem somos, na realidade, e nos ajuda a refletir e permitir que o Espírito Santo nos ajude a reforçar o que temos de bom e corrigir o que temos de ruim… sem isso, a gente viverá como os fariseus. A aplicação prática aqui é priorizar ouvir e ser transformado pela Palavra de Deus … é pedir ajuda para que o Espírito Santo lhe transforme. Exemplo de Marta e Maria. Marta começa na retaguarda e termina na vanguarda.

  • Ter consciência e temor de nossos atos: v.13. Não há nada que se possa esconder de Deus. Cada coisa a respeito de nós está descoberta e escancarada aos olhos penetrantes do nosso Deus vivente; nada pode se esconder dele, a quem devemos prestar contas de tudo o que fizemos.

Aqui tem o perigo de mau testemunho. Pessoa que peca e faz o outro (mais fraco) cair, desistir de caminhar com Deus e numa igreja.  A aplicação prática aqui está relacionada à Palavra TEMOR. Se alguém tem temor a Deus, ela não peca primeiro, para pedir perdão. Pecando deliberadamente, cai e faz cair o seu irmão.

  • Devemos chegar com confiança ao trono da graça. v.14 e 16. Portanto, Jesus, o Filho de Deus, é o nosso grande sumo sacerdote que foi diretamente para o céu, a fim de nos ajudar; portanto não deixemos nunca de confiar nele. Esse nosso sumo sacerdote compreende as nossas fraquezas, visto que ele passou pelas mesmas tentações que nós passamos, ainda que ele nunca tenha cedido a elas nem pecado. Portanto, vamos ousadamente até o próprio trono de Deus e permaneçamos lá para recebermos a sua misericórdia e acharmos a sua graça para nos ajudar em tempos de necessidade.

Cristo vai nos ajudar, devemos confiar nEle, mas, não repassar a Ele toda a responsabilidade. Ele passou pelas mesmas tentações e fraquezas, mas, não cedeu a nenhuma delas. A aplicação prática aqui é resistir ao pecado. Pessoas assim, encontram graça e misericórdia: a graça é receber aquilo que não merece; a misericórdia: é não receber aquilo que merece. Essas pessoas encontram ajuda em tempos de necessidade, porque elas são fieis à Deus.

Considerações finais

Este ano, estamos falando de triunfar. Que tipo de triunfo estamos esperando?

  1. Será que estamos totalmente focados em coisas, planos terrenos, projetos materiais? Ou será que nosso objetivo é triunfar na vida espiritual, vivendo para a glória de Deus? Vamos começando bem e terminando bem? Indo até fim, esperando algo maior e mais glorioso que está pronto desde a fundação do mundo para nós? Será que estamos dispostos a fazer o melhor que pudermos em relação à permitir que Deus nos transforme para melhor?
  2. Será que teremos mais temor e vigilância? Nossos atos revelam genuína conversão, ou a gente vive o que pregamos da boca pra fora? Qual tem sido o testemunho que estamos apresentando à Deus?
  3. E em relação a chegar diante do trono de graça? Estamos chegando com ousadia ou envergonhados? Temos consciência da nossa responsabilidade, ou seja, que Cristo vai nos ajudar e não fazer tudo por nós? Estamos resistindo ao pecado ou cedendo a ele e ficando com as nossas mentes cauterizadas? Será que estamos dispostos a sermos fiéis para alcançarmos a ajuda necessária na hora da nossa necessidade?

Oremos!

Please follow and like us:
Pin Share