Princípios espirituais revelados na cura do Paralítico de Betesda

Depois disto havia uma festa entre os judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. Ora, em Jerusalém há, próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu Betesda, o qual tem cinco alpendres. Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressicados, esperando o movimento da água. Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse. E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são? O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito, e anda. Logo aquele homem ficou são; e tomou o seu leito, e andava. E aquele dia era sábado. Então os judeus disseram àquele que tinha sido curado: É sábado, não te é lícito levar o leito. Ele respondeu-lhes: Aquele que me curou, ele próprio disse: Toma o teu leito, e anda. Perguntaram-lhe, pois: Quem é o homem que te disse: Toma o teu leito, e anda? E o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se havia retirado, em razão de naquele lugar haver grande multidão. Depois Jesus encontrou-o no templo, e disse-lhe: Eis que já estás são; não peques mais, para que não te suceda alguma coisa pior. E aquele homem foi, e anunciou aos judeus que Jesus era o que o curara. E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas coisas no sábado. E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus. João 5:1-18;

Introdução

Jesus chegou a Jerusalém no dia de uma festa judaica, e foi a um tanque que era evitado por muitas pessoas por causa do volume de necessitados doentes que se acumulava em torno das águas. Quais princípios podemos extrair a respeito desse dia?

  1. A maior parte dos evangelhos retratam eventos ocorridos no ano da oposição. O ano da oposição ocupa mais da metade do Evangelho de João. O ministério de Jesus, iniciou-se por volta de 30 anos (Lucas 3:23) e é dividido em três fases: Ano inicial (Nazaré); Ano da popularidade (discípulos); Ano da oposição; João não retrata toda a vida de Jesus, como os demais evangelhos fazem, mas inicia logo do Seu batismo, e dá saltos na sua narrativa, tratando já no capítulo dois, da Páscoa. Jesus não está focado na oposição, mas em cumprir os planos de Deus;
  2. A cultura bíblica revela que o nosso Deus estabeleceu festas para o seu povo. Mas, não são festas como as que estamos acostumados a ouvir falar, são festas com simbologias espirituais. São festas que trazem significados que revelam a glória de Deus (Ex.: Páscoa: festa da libertação, passagem, saída do Egito); As festas eram um tipo de culto à Deus aonde a pessoa orava, agradecia a Deus, pedia perdão por seus pecados, e levava uma Agora, João não cita o nome desta festa porque o tema principal do livro de João é apresentar Jesus como o “Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo”. Não há festa de verdade sem Jesus. Quer viver de verdade? Chama Jesus, aprecie o que Ele aprecia, esteja onde ele está; Participe da festa com Jesus.
  3. Embora fosse tempo de festa, nem todos em Jerusalém estavam ali para cultuar. Havia grupos que utilizavam a festa para promover seus ideais (certos judeus queriam matar Jesus), outros queriam comercializar etc. Não podemos desviar do propósito a que fomos criados.

Então, existe uma diferença entre entrar numa festa e se alegrar numa festa. Não basta entrar, é necessário alegrar-se e para alegrar-se numa festa de conteúdo espiritual, vemos cinco princípios que podemos extrair para nós:

1)   Ter a vida transformada

Por fora: Havia um grupo de pessoas doentes, no qual estava aquele homem, sem nome, que ficou conhecido pela sua doença e pelo nome do tanque: paralítico do tanque de Betesta; Ele estava estigmatizado, na vida, pelas circunstâncias, mas, Jesus é benevolente (não o reforçou o estigma) e mudou a história dele; (Noemi quis ser chamada de Mara, Rute 1:19-22);

Por dentro: Sua necessidade era de ser curado. Mas, ele exigia dele mesmo algo que não podia fazer: ir até as águas e tocar nelas (Jesus pergunta: queres ficar são? Ele responde: não consigo me curar). O paralítico é uma representação da condição de incredulidade de Israel Números 14:33,34: E o povo de Israel, já estava no deserto há dois anos quando foi punido por sua incredulidade (é falta de fé nas coisas que Deus disse 2 Crônicas 20:20); Se você pudesse fazer tudo, você seria Criador.

2)   Entrar pela Porta das Ovelhas

A Porta das Ovelhas tinha esse nome porque nela se entrava com os animais para o sacrifício… e dava de fundo para o Templo. Jesus é a porta de entrada das ovelhas no pastor verdejante de Deus: Ele se entregou por nós (como uma ovelha ao sacrifício) para nos salvar.

Tornou, pois, Jesus a dizer-lhes: Em verdade, em verdade vos digo que eu sou a porta das ovelhas. João 10:7;

3)   Se lavar no tanque da misericórdia

O tanque de Betesda traduzido significa o tanque da Misericórdia. Era fora das muralhas da cidade e de acesso público para todos que vinham à Jerusalém. Era a entrada daqueles que vinham pelo caminho de Samaria (evitado pelos religiosos judeus); Representa a misericórdia de Deus: Ele limpa e purifica do pecado, perdoa e restaura.

4)   Basear-se na Palavra de Deus

Cinco alpendres: eram as cinco entradas para o tanque, e também uma simbologia aos cinco primeiros livros de Moisés: representando A Palavra de Deus; Naqueles tempos a Palavra estava sendo substituída pela Tradição Oral, não se atentavam mais ao que estava na Torá Escrita por Moisés.

Eles chegavam a invalidar os Mandamentos que o Eterno deu ao Seu povo por meio da Torá e dos Profetas, para seguirem os mandamentos de homens.

Por exemplo, Moisés deu esta lei: ‘Honre seu pai e sua mãe’ e ‘Quem insultar seu pai ou sua mãe será executado’. Vocês, porém, ensinam que alguém pode dizer a seus pais: ‘Não posso ajudá-los. Jurei entregar como oferta a Deus aquilo que eu teria dado a vocês’. Com isso, desobrigam as pessoas de cuidarem dos pais, anulando a palavra de Deus a fim de transmitir sua própria tradição. E esse é apenas um exemplo entre muitos outros”. Marcos 7:10-13;

A porta de entrada para a Graça não é a tradição oral, mas a Palavra de Deus.

Considerações finais

Podemos olhar para Jesus e observar qualidades em seu caráter que demonstrava indubitavelmente ser Deus. Aplique isso no seu dia-a-dia!

E aquele homem foi, e anunciou aos judeus que Jesus era o que o curara. E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas coisas no sábado. E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também. Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus. João 5:15-18.

  • Guiado por princípios: Os religiosos das seitas judaicas perseguiram a Jesus e procuravam matá-lo porque Jesus agia guiado por princípios (mais elevados) e que (deliberadamente) não eram aceitos por aqueles falsos mestres. Não espere que o mundo goste de você, se você decidir andar sobre os princípios de Deus, que têm valores mais altos (e incompreensíveis) do que os ditames humanos; Aplique princípios espirituais em sua vida.
  • É possível fazer o bem e não ser bem vindo: Você pode doar o melhor de você, você pode ser usado por Deus ou doar-se com sua vocação, talentos e os dons que Deus te deu e, ainda assim, não ser bem aceito por isso. Você pode explicar e desenhar e ainda assim surgirão pessoas que desconfiarão da sua índole. Mas o problema não é você, é projeção que algumas pessoas têm de si mesmas e as lançam sobre os outros; Faça o bem a todos, ore por todos, não pague o mal com o mal;
  • Identidade: Jesus também era odiado por não negar a ninguém a verdade sobre a sua identidade. Isso é um problema ainda atual, porque se fala muito em “liberdade”, mas a identidade cristã de alguém pode trazer problemas no seu contexto. Muitos não querem agir ou ser identificados como cristãos (ex.: Uber que mudou a rádio) por causa de ameaças. Jesus nunca negou que era igual a Deus, gostassem disso ou não. Não mude sua identidade.

Deus abençoe!!

Please follow and like us: