Recompensa das Bem-aventuranças

Textos

  1. Texto: E Jesus, vendo a multidão, subiu a um monte, e, assentando-se, aproximaram-se dele os seus discípulos; E, abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo: Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados; Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra; Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos; Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus; Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós. Mateus 5:1-12;
  • Texto: Vós sois o sal da terra; e se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta senão para se lançar fora, e ser pisado pelos homens. Vós sois a luz do mundo; não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte; Nem se acende a candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dá luz a todos que estão na casa. Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem a vosso Pai, que está nos céus. Mateus 5:13-16;

1.       Pra quem Jesus está dizendo essas palavras?

A primeira coisa que devemos perguntar a esse texto é: “pra quem Jesus está dizendo essas palavras?” Pra multidão ou para os seus discípulos? O texto é bem cuidadoso em separar porque esses dois grupos têm propósitos diferentes.

E, descendo com eles, parou num lugar plano, e também um grande número de seus discípulos, e grande multidão de povo de toda a Judéia, e de Jerusalém, e da costa marítima de Tiro e de Sidom; os quais tinham vindo para o ouvir, e serem curados das suas enfermidades, como também os atormentados dos espíritos imundos; e eram curados. E toda a multidão procurava tocar-lhe, porque saía dele virtude, e curava a todos. E, levantando ele os olhos para os seus discípulos, dizia… Lucas 6:17-20;

A multidão quer uma solução para sua aflição imediata. Já os discípulos andam e aprendem a ser como Jesus. Os níveis de interesse por Jesus e de comprometimento são diferentes. Então, Jesus vê a multidão, mas, aqui, ele se volta e prega para os seus discípulos. A multidão está ali para assistir e quem sabe ter uma solução para alguma dificuldade.

Os discípulos são bem aventurados porque possuem as promessas de Deus, mesmo caminhando na vida como pobres de espírito, chorando, sendo mansos…; Se fosse só pela condição, outras pessoas, que não participam da promessa, mas, enfrentam essas mesmas condições, seriam também bem aventuradas. Mas, Jesus não está falando dessas outras pessoas, Ele está falando com os discípulos.

2.       Sobre o que é a pregação?

Então, o sermão do monte não é sobre o que somos, é sobre quem devemos ser (uma vez participantes de uma promessa). Jesus vai falar da promessa da “Recompensa” da “Bem Aventurança” que não está na condição da pessoa, mas, mas, na promessa que Deus fez aos que são seus discípulos;

Então, a questão é quem eu me torno (ou devo me tornar) uma vez que sou discípulo. O discípulo se dispõe a viver as promessas de Deus, apesar de condições (muitas delas, extremas) a que são submetidos. Quando o discípulo vive as bem aventuranças, ele está testemunhando aos que estão ao seu redor, que, ele reproduz todas essas qualidades, traz consigo as promessas que Deus o fez;

3.       Quem devem ser os discípulos?

Vamos olhar um pouco para o 2º texto que fala da Luz e do Sal. Esse texto deixa claro que o propósito dos discípulos não é outro a não ser apontar para Deus e não para si mesmos.

Princípios de viver para Deus;

  1. Você não vê a luz, você vê tudo por causa da luz; Ninguém põe uma luz para ficar olhando pra ela, e sim, para ver as coisas que ela ilumina ao seu redor;
  • Você não saboreia o sal, mas o alimento que é salgado. Ninguém compra sal para fazer uma refeição de sal, mas, para fazer uma refeição mais saborosa por causa do sal;

Então, respondendo à pergunta. Ao ser discípulo ele não traz a atenção para si, mas, clareia a visão dos que estão perto (para que vejam as verdades espirituais que os cercam); Eles salgam moderadamente a refeição dos que comem para eles apreciem o alimento precioso;

Os discípulos não devem viver pra si mesmos, mas para serem meios pelos quais as verdades do Reino de Deus sejam vistas e apreciadas. Os discípulos não têm finalidade em si mesmos, mas, são meios para a finalidade do Reino de Deus;

O discípulo não quer fazer um país impressionado com a Igreja, mas, um país impressionado com o Deus da Igreja;

4.       Quando começar a fazer isso?

Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. João 9:4;

O dia se refere à vida e a noite se refere ao fim da vida. O momento de viver é em vida, é hoje.

5.       Em quais circunstâncias se revelam o Reino de Deus na vida dos discípulos?

  1. Os pobres de espírito: nem todo pobre é pobre de espírito. Tem pobre que não é pobre de espírito, ele que é altivo, exaltado, orgulhoso, arrogante. O discípulo bem aventurado conserva-se na sua humildade, simplicidade interior, gratidão, contentamento… ele não é ganancioso, ostentador, ele não tem prazer nestas coisas. Ele tendo muito dá graças a Deus, como tendo pouco, porque seu espírito tem simplicidade e gratidão interior; Ele come um prato de ovo ou de picanha e nas duas ocasiões, agradece a Deus;
  • Os que choram: choram por si mesmos, quando se medem com os padrões de justiça divina; Chora por aquilo que entristece a Deus; Chora por ver a crueldade no mundo, a imoralidade… seu coração está em sintonia com o coração de Deus;
  • Os mansos: aqueles que são submissos diante de Deus, aceitam a sua vontade (mesmo que não entendam); Não são violentos e nem vingativos, antes, buscam refúgio em Deus e consagram a Ele todo o seu ser;
  • Os que têm fome e sede de justiça: são aqueles que sofrem por causa da justiça, anseiam pelo dia que Deus lhes fará justiça; E a maior justiça que o cristão espera é o dia que o Senhor virá buscar a sua igreja; Muitos discípulos em perdem aqui quando começam a almejar mais as coisas passageiras do que as celestiais (ambição pelas riquezas, prazeres e fama);
  • Os misericordiosos: Os que perdoam aqueles que lhes pedem misericórdia. Eles têm compaixão dos que sofrem por causa do pecado e das aflições; Os misericordiosos desejam diminuir os sofrimentos e conduzir os sofredores à graça de Deus;
  • Os limpos de coração: São os que são libertos do pecado e odeiam o mal; Não são seduzidos pelo mundo, pelos prazeres mundanos e carnais; Não suspeitam mal; São transparentes;
  • Os pacificadores: Pessoas que trabalham pela solução dos conflitos, caminham para uma pacificação de situações, buscam a paz, buscam o entendimento, às vezes, perdem para ganhar;
  • Os que sofrem perseguição por causa da justiça: São os que sofrem impopularidade, rejeição e crítica por amor à justiça de Deus; Se recusam a transgredir com a presente sociedade e, por isso, são expostos e vexados;
  • Os que são injuriados e perseguidos por causa de Jesus: Pessoas que são opositoras à Jesus, disseminam perseguições e mentiras contra a Igreja, caluniam e difamam os servos de Deus, porque odeiam a Jesus, esses discípulos são bem aventurados;

Recompensa!

É grande o vosso galardão nos céus. Não é na terra. Muitas coisas que foram vivenciadas, plantadas aqui, não serão colhidas aqui, e sim na vida vindoura. Tudo aqui é passageiro, mas, no céu, tudo permanecerá eternamente;

Aplicação prática

  1. Seja discípulo e não multidão: os discípulos querem andar, aprender e ser como Jesus. Jesus faz promessas à eles e não à multidão; Você não é discípulo porque gosta das pessoas da igreja, e sim porque anda com Jesus; Tenha a promessa para que a virtude faça sentido: Ninguém entra no Reino de Deus por virtudes, e sim pela aliança que Deus com Jesus;
  • Que Jesus cresça e você diminua: Você não é o fim em si mesmo, você é o meio que aponta para uma finalidade: a glória de Deus; Você ilumina as verdades sobre Deus e dá sabor ao alimento; Menos de você e mais de Deus;
  • Não abra mão dos princípios da Justiça de Deus: Reforce os que você já possui e desenvolva os que ainda não possui. Porque temos alguns mais desenvolvidos e outros menos desenvolvidos; É necessário abnegação, esforço, sacrifício e mudança de hábitos. Procure se conhecer melhor, faça uma auto reflexão para identificar seus defeitos e pedir ajuda do Espírito Santo para muda-los;

Alegrai e exultai. É uma alegria triunfante pelas situações, porque elas exprimem uma maior recompensa na vida futura.

Deus abençoe!!

Please follow and like us:
0
20
fb-share-icon20