Retornando às origens da Igreja: Movimento da Reforma Protestante

Protestantes. Por que Deus nos trouxe até aqui? E para onde estamos indo?

Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra. Atos 1:8.

Introdução

  • Estamos entrando na semana da Reforma Protestante. Movimento que promoveu o retorno das igrejas cristãs evangélicas (não todas) à origem do cristianismo. Hoje, não vou fazer uma exposição bíblica de um texto, como de costume;
  • Eu quero falar sobre um resumo da história da igreja (do século 1º ao 16º); A igreja passou por seis períodos: Igreja Apostólica, Perseguida, Imperial, Medieval, Reformada e Moderna.
  • O texto que lemos não é só uma palavra de encorajamento, mas, uma agenda de trabalho;
  • O Livro de Atos refere-se à história da Igreja, que não tem conclusão porque a história continua;
Capítulo 1 ao 7A igreja está em Jerusalém; Começa a perseguição e a igreja espalha a semente
Capítulo 8A igreja rompe a barreira racial e chega em Samaria
Capítulo 9Registra a conversão de Saulo (maior perseguidor da igreja), em Damasco (na Síria)
Capítulo 10Conversão de Cornélio, em Cesaréia
Capítulo 11Evangelho chega na Antioquia da Síria
Capítulo 13 e 141ª viagem missionária de Paulo: Galácia, Derbe e Listra
Capítulo 16 a 182ª viagem missionária: Macedônia e Acaia
Capítulo 19 e 203ª viagem missionária: Ásia (Éfeso, Esmirna, Pérgamo, Tiatira, Sardes, Filadélfia, Laodicéia e outras)
Capítulo 21 em diantePaulo percebe que não tem mais campo, decide ir à Roma e de lá, à Espanha.
  • Paulo fica preso e apela para ser julgado em Roma, e chega algemado lá. Mas, era plano de Deus para que ele pregasse aos soldados da guarda pretoriana (exército de elite romano, que tem aproximadamente 16 mil homens);
  • O livro de Atos termina no capítulo 28 indo para Roma;

1.  A igreja na história dos imperadores romanos (Igreja Perseguida)

Na história dos imperadores, vemos na bíblia (os dois primeiros):

  • César Augusto (do tempo em que Jesus Nasceu);
  • Tibério César (quando Jesus foi crucificado);
  • Depois vem Cláudio;
  • Depois Nero (assume o trono com 17 anos de idade, no ano de 1954). Acontece o incêndio em Roma no ano 1964 (entre a 1ª e a 2ª viagem de Paulo);
  • No ano 66 acontece a guerra dos judeus, o suicídio de Nero no ano 68, e a tomada de Jerusalém no ano 70 (com a destruição do Templo);
  • Acontece a maior dispersão dos judeus pelo mundo (que vai até 1948);
  • No ano 70 acontece a inauguração do Coliseu por Vespasiano: ele decreta 100 dias de festa: 10 mil crentes foram mortos (os cristãos eram enrolados em peles de animais, jogados na arena para as feras)
  • No ano 81 o imperador Domiciano condena João à prisão na ilha de Patmos; João escreve o Livro de Apocalipse, depois, retorna para Éfeso aonde termina seus dias.
  • O primeiro século: foi o período apostólico da igreja; Os séculos 2 e 3 seguintes foram de perseguição aos cristãos: eles são crucificados, queimados, torturados, afogados, jogados às feras…
  • Mas, pelo sangue desses mártires foi a sementeira do evangelho; Quanto mais a igreja era perseguida, mais ela crescia;

2.  Conversão do imperador Constantino e fim da perseguição (Igreja Perseguida)

  • No auge da perseguição, no início do quarto século: Deus deu uma virada neste cenário;
  • O imperador Constantino estava indo para uma batalha e disse ter visto uma cruz e uma voz que dizia “com este sinal vencerás”;
  • Ele venceu a batalha e declara o cristianismo (até então, perseguido, vilipendiado, massacrado) em religião oficial do império romano;

3.  O cristianismo como religião oficial do Estado (Igreja Imperial)

  • Isso foi bom: foi bom porque os cristãos pararam de serem mortos, pararam de se reunir nas catacumbas de Roma; suas propriedades foram devolvidas; Eles se reuniam publicamente, não tinham templos e agora o próprio Estado constrói templos; houve um tempo de paz;
  • Foi ruim: a porta de entrada da igreja deixou de ser a conversão para ser a conveniência; Agora, ser cristão não é pôr a cabeça à prêmio, é receber aplausos do Estado; Pessoas começaram vir aos milhares para a igreja, não porque eram convertidas, mas, porque queriam as beneficies do Estado; Trouxeram consigo as bagagens do paganismo (sincretismo religioso, crendices etc.).
  • Não tardou para que o cristianismo, até então puro, fosse levedado pelo fermento perigoso e mortal das heresias;

4.  Pontos positivos do início da Igreja Imperial

  • Ao longo desse período foi também um importante momento de decisões históricas da Igreja: sobretudo a respeito da divindade e humanidade de Cristo), por causa da influência do pensamento grego (que não acreditava na criação, na encarnação, na ressurreição de Cristo etc.). A doutrina de Cristo estava sendo atacada;
  • Por isso que Constantino convoca um Concílio para discutir a divindade de Cristo… isso porque lá em Alexandria tinha um presbítero estava provocando uma heresia: que Cristo não era co-igual, co-eterno e co-substancial com o Pai;
  • Fica estabelecido esse pilar do cristianismo: Ele é verdadeiramente Deus; Outros concílios surgiram também: para falar da humanidade de Cristo (381, Constantinopla) e da pessoa humana-divina de Cristo (451, Calcedônia);
  • Em 416 veio o sínodo de Cartago, porque um cidadão chamado Pelágio, começou a ensinar que o homem está como Adão antes da queda, podendo escolher e controlar. Agostinho de Hipona vai mostrar que a salvação é exclusivamente pela Graça e iniciativa de Deus; Fixa outra estaca importante do cristianismo.

5.  Afastamento da verdade e início de disputas de poder eclesiástico

  • A parte ruim é que a Igreja também foi se distanciando da verdade do evangelho e começam haver disputas políticas nos corredores eclesiásticos;
  • Começaram com tensões por disputa de poder entre os bispos das cinco mais importantes cidades no mundo (Roma, Constantinopla, Alexandria, Antioquia e Jerusalém);
  • Começa uma disputa de poder: Quem é mais importante? Quem deve exercer papel de liderança no mundo?
  • Surge a ideia de uma igreja centralizada num único poder. Até então, as igrejas eram unidas pela verdade do evangelho, e cada uma tinha sua identidade e suas particularidades (ex.: cartas que Paulo escreve às igrejas, cada uma tem um pastor e um jeito de ser).

6.  Bispo universal

  • No ano 604 o imperador romano Focas, declara o Bispo de Roma Gregório I, como bispo universal da igreja (ele rejeitou o título e disse que ninguém seria digno de tê-lo, porque exclusivo de Cristo, só Ele é o Bispo Universal da Igreja, aquele que aceitar esse título deve ser considerado um anti-cristo);
  • No ano 607 Focas nomeia Bonifácio III (que era Bispo de Roma) e ele aceita o título de bispo universal da igreja e começa a história do papado;
  • Então, a história do papado não se inicia em Pedro (como muito de nós já ouvimos falar), ela inicia-se em 607 d.C.;
  • O documento que declara que o papado inicia-se em Pedro chama-se “As falsas decretais de Isidoro”, que é um documento cujo propósito é fazer as pessoas pensarem que o papado recuasse à Pedro; E que todo Papa seria um sucessor legítimo de Pedro;
  • Nota: A igreja não se torna legítima por ter registrado a lista de bispos ao longo da história; A sucessão apostólica não é bíblica, a igreja é apostólica por estar edificada sobre Cristo e não sobre os apóstolos;

7.  Desvio da igreja (Igreja Medieval)

  • Com a queda do império romano, a Igreja começou a ganhar mais poder. Ela dominava na parte política, então, os governos dependiam da aprovação dessa Igreja Medieval para fazer qualquer coisa. Essa aprovação era comprada.
  • Na mesma medida que a igreja se fortalecia economicamente, ela também se corrompia teologicamente;

Esse período entre o século X e XV fica conhecido como período da Idade Média.

  • A igreja começa a se desviar gradualmente do caminho e da verdade; Ela sai da simplicidade e pureza das escrituras:
  • Culto aos mortos (Livro apócrifo de Macabeus);
  • Imagens de escultura (Paganismo);
  • Purgatório (Tempo de Macabeus);
  • Confessionário (Doutrina de que somente o sacerdote da igreja pode conceder perdão em nome de Deus);
  • A transubstanciação (tropeço na metáfora da figura bíblica, condenada como sacrifício contínuo Hebreus 9:25-28; Hebreus 10:12-12);
  • Culto à Maria (Maria: venerada como mãe de Deus e mediadora entre Deus e os homens, 1 Timóteo 2:5,6 – vide anexo);
  • Culto aos santos; e… tantas outras novidades ao cristianismo;

A igreja vai se corrompendo ao longo desse tempo. Mas, quis Deus que essa história fosse mudada, porque Ele nunca deixou de ter uma lâmpada acesa na história;

8.    Deus preparou o caminho para uma Reforma

No século 14 e 15 acontece um movimento cultural chamado Renascença que ajudou na Reforma da Igreja; Ele tirou das mãos da igreja cinco importantes áreas: economia, artes, ciência, política e religião;

Em 1450 é criada a imprensa (sem a qual as ideias e a doutrina da Reforma não teria se espalhado);

Deus começa a levantar pessoas: John Huss um padre que é queimado vivo (vocês mataram um ganso, mas daqui a cem anos virá um cisne); John Wycliffe: foi perseguido e morreu porque estava traduzindo a bíblia para o inglês (não conseguiu, mas, seus discípulos conseguiram);

9.  Todo dia 31 de outubro é lembrado no mundo o Dia da Reforma Protestante.

Quis a providência de Deus que um o monge agostiniano, Martinho Lutero, tivesse uma experiência com Deus; Ele era uma pessoa atormentada dentro de si mesmo porque não conseguia achar paz para ser salvo, até que ele leu na bíblia: O justo viverá pela fé (Romanos 1:17); Houve uma libertação, ele conhece a graça de Deus;

  • Nesta época o papa Leão X está passando momentos financeiros difíceis na restauração da Basílica de São Pedro e ele envia seu emissário, Johh Tetzel, para a Alemanha, para vender indulgência (perdão de pecado, que era comprado). Alguém poderia comprar uma bula de perdão para a vida inteira;
  • Então podia pecar tranquilo que a salvação estava garantida. Quando Martinho Lutero soube ele estrategicamente no dia 31/10 (porque no dia 01/11 é chamado “Dia de Todos os Santos” aonde o povo ia para a igreja e o mural da igreja era o jornal da época, Lutero vai publicar na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg as 95 teses contra as indulgências, deflagrando ali o movimento da Reforma Protestante.
  • Nesta época o papa Leão X está passando momentos financeiros difíceis na restauração da Basílica de São Pedro e ele envia seu emissário, Johh Tetzel, para a Alemanha, para vender indulgência (perdão de pecado, que era comprado). Alguém poderia comprar uma bula de perdão para a vida inteira;
  • Então podia pecar tranquilo que a salvação estava garantida. Quando Martinho Lutero soube ele estrategicamente no dia 31/10 (porque no dia 01/11 é chamado “Dia de Todos os Santos” aonde o povo ia para a igreja e o mural da igreja era o jornal da época, Lutero vai publicar na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg as 95 teses contra as indulgências, deflagrando ali o movimento da Reforma Protestante.
  • Nesta época o papa Leão X está passando momentos financeiros difíceis na restauração da Basílica de São Pedro e ele envia seu emissário, Johh Tetzel, para a Alemanha, para vender indulgência (perdão de pecado, que era comprado). Alguém poderia comprar uma bula de perdão para a vida inteira;
  • Então podia pecar tranquilo que a salvação estava garantida. Quando Martinho Lutero soube ele estrategicamente no dia 31/10 (porque no dia 01/11 é chamado “Dia de Todos os Santos” aonde o povo ia para a igreja e o mural da igreja era o jornal da época, Lutero vai publicar na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg as 95 teses contra as indulgências, deflagrando ali o movimento da Reforma Protestante.
  • Nesta época o papa Leão X está passando momentos financeiros difíceis na restauração da Basílica de São Pedro e ele envia seu emissário, Johh Tetzel, para a Alemanha, para vender indulgência (perdão de pecado, que era comprado). Alguém poderia comprar uma bula de perdão para a vida inteira;
  • Então podia pecar tranquilo que a salvação estava garantida. Quando Martinho Lutero soube ele estrategicamente no dia 31/10 (porque no dia 01/11 é chamado “Dia de Todos os Santos” aonde o povo ia para a igreja e o mural da igreja era o jornal da época, Lutero vai publicar na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg as 95 teses contra as indulgências, deflagrando ali o movimento da Reforma Protestante.

10.              As teses de Lutero se organizam em cinco declarações

Somente a Fé: é o ensinamento de que a justificação (interpretada na teologia protestante como “sendo declarada apenas por Deus”) é recebida somente pela , sem qualquer interferência ou necessidade de boas obras; Antes a salvação era anunciada por mérito, sacrifício, compra de perdão. A salvação não é pelas obras e nem pela fé mais as obras. A salvação é obra exclusiva de Deus, pela fé.

Somente a Escritura: O povo daquela época era sem leitura, não conhecia a bíblia e era manipulado. As pessoas deveriam ser ensinadas à leitura e ter acesso à bíblia. É o ensinamento de que a Bíblia é a única palavra autorizada e inspirada por Deus e é única fonte para a doutrina cristã, sendo acessível a todos. A bíblia exige interpretação em si mesma; O cristão observa o que a bíblia diz. A reforma fez voltar às origens do cristianismo.

Somente Cristo: é o ensinamento de que Cristo é o único mediador entre Deus e a humanidade, e que não há salvação através de nenhum outro: rejeitamos todos os outros mediadores entre Deus e a humanidade; O mundo é plural, acha que toda religião é boa (podendo ter alguns princípios bons, mas não anuncia Cristo como Deus…), todo caminho leva a Deus, é politicamente correto pensar que todo caminho leva para o céu, o que importa é você ter uma religião. Jesus não é uma porta, ele é a PORTA, Ele não é um caminho, Ele é o CAMINHO. É Cristo, não é Cristo mais a igreja, não é Cristo mais Maria, não é Cristo mais o Papa, não é cristo mais o pastor…

Somente a graça: é o ensinamento de que salvação vem por graça divina ou “favor imerecido”. Deus salva somente pela graça e não por mérito, mas o ser humano está habilitado pelo Espírito Santo para entender o Evangelho e responder na fé; Se a salvação dependesse de nós, estávamos perdidos, dependemos de Deus para recebermos a salvação. Eu sou corrompido, as minhas justiças não passam de trapos de injustiça. Estou condenado. Não posso ir até Deus por mim mesmo, Ele inicia esse processo de salvação.

Somente a Glória de Deus: hierarquias eclesiásticas não são dignas da glória que sejam concedidas, isto é, não se deve exaltar pessoas por suas boas obras, mas sim louvar e dar glória a Deus, que é o autor e santificador dessas pessoas e suas boas obras. O mundo é antropocêntrico, antropolátrico, onde o homem é o centro do seu universo, é colocado no pedestal, é adorado… toda glória dada ao homem é vã, inútil. Deus não divide a glória a Deus com ninguém.

Aplicações práticas

A Igreja é reformada, sempre reformando!! Devo tomar cuidados com a minha vida cristã para não perder o que me foi dado.

  1. Não permita-se achar que você está salvo porque desenvolveu qualidades, que Deus não vive sem você… Não crie amuletos da fé: Objetos com poderes sobrenaturais; 
  1. Compare tudo o que é pregado com as Escrituras, a autoridade é da bíblia: somente ela têm as respostas; 
  1. Não há outro mediador entre Deus e os homens. Ele é sacerdote (sacrificou-se por nós), Ele é mediador (caminho), advogado. 
  1. Não resista à Graça de Deus; Jesus se revelou, se manifestou a você, veja isso como a oportunidade maior e mais importante oportunidade da sua vida; 
  1. Não crie ou aceite substitutos à Glória de Deus: O pastor mais lindo do mundo! Aquele grupo de louvor;  

Anexos:

  • Maria: venerada como mediadora entre Deus e os homens; Doutrina sem sustentação bíblica, criada e desenvolvida a partir do período imperial da igreja.
MARIA, MÃE DE DEUSCONCÍLIO DE TRENTO (431 d.C.)
ASSUNÇÃO DE MARIACONCÍLIO DE CALCEDÔNIA (451.d.C.), PROMULGADO PELO PAPAL PIO XII (1950.d.C.)
CULTO A MARIAPAPA ADRIANO I NO CONCÍLIO DE NICÉIA (787.d.C.)
VIRGINDADE e SEM OUTROS FILHOSCONCÍLIO DE LATRÃO (649.d.C.)
IMACULADA (SEM PECADOS)ENCÍCLICA PROMULGADA PELO PAPA PIO IX (1854.d.C.)
ADVOGADA E INTERCESSORACATECISMO DE PIO X (1905.d.C.)
Please follow and like us: