Transparência

É palavra que está na ordem do dia. Lidar com as informações de forma transparente é uma nova tendência na sociedade contemporânea e tem inclusive influenciado a legislação pública brasileira. Hoje, existem portais de transparência na área pública, de determinados órgãos, onde o cidadão consegue acompanhar a entrada de receitas e a destinação de recursos.

Mas, tudo ainda é uma grande inovação, que, por vezes, nos causa receios.

Um obreiro de valor sabe prestar contas! No Regimento Interno de nossa igreja, ficou estabelecido que: O pastor tem o dever de zelar pela prestação de contas na forma e nos prazos estabelecidos. Como obreiros da Casa do Senhor, teremos que prestar contas com algumas partes: a) com Deus; b) com nossa família; c) com nossos superiores no ministério; d) com nossos obreiros; e) com nossa congregação;

Assim sendo, a prestação de contas é feita com as partes envolvidas, na igreja, conforme as políticas ministeriais que envolvem segurança, sigilo e níveis hierárquicos, mas, independente das regras da denominação, o que não podemos deixar de lado é a falta de gestão adequada das informações (controles e relatórios gerenciais) que permeie uma boa prestação de contas.

Nós cremos que uma administração sem bons mecanismos de controle pode pôr em xeque o trabalho e a credibilidade do pastor, da igreja e do Evangelho, facilitando os ataques do inimigo, que, em todo tempo, lança dúvidas contra o caráter da liderança.

Por isso, temos avançado para uma gestão transparente, responsável e perene é permeada por diversos princípios bíblicos, por isso, praticada em nossa igreja. A bíblia diz que “Aquele que preside, faça com cuidado” (Romanos 12:8), assim, colocamos à disposição de membros e visitantes indicadores que possibilitam uma avaliação do desenvolvimento e progresso da Igreja.

Confira alguns deles: